“Por que estais abatida, oh minh’alma?

“Por que estais abatida, oh minh’alma?

Os Salmos 42 e 43 são dois poemas tão intimamente ligados em conteúdo e estilo que são considerados por alguns estudiosos como uma única composição.
O desânimo do Salmista se dá porque está impedido de fazer sua costumeira peregrinação ao Templo (vv.4), devido a uma enfermidade que o acomete (vv.10); considera-se que o salmista seja um cantor do Templo que está exilado no norte, próximo a nascente do Jordão, ansioso por voltar à Casa de Deus, e que transforma seus anseios em resoluta fé e esperança no próprio Deus (vv.6); porém, todos aqueles que o rodeiam não partilham do seu anseio pela presença divina, daquela paixão pelo Deus vivo, tal como a corça não consegue disfarçar a sua sede.

 “Por que estais abatida, oh minh’alma? Por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda O louvarei, meu Salvador e meu Deus” (Sl.42:5).

Os Salmos 42 e 43 são dois poemas tão intimamente ligados em conteúdo e estilo que são considerados por alguns estudiosos como uma única composição.

O desânimo do Salmista se dá porque está impedido de fazer sua costumeira peregrinação ao Templo (vv.4), devido a uma enfermidade que o acomete (vv.10); considera-se que o salmista seja um cantor do Templo que está exilado no norte, próximo a nascente do Jordão, ansioso por voltar à Casa de Deus, e que transforma seus anseios em resoluta fé e esperança no próprio Deus (vv.6); porém, todos aqueles que o rodeiam não partilham do seu anseio pela presença divina, daquela paixão pelo Deus vivo, tal como a corça não consegue disfarçar a sua sede.

Os seus inimigos pagãos o ridicularizam, com observações sobre a indiferença do seu Deus aos seus anseios.

É muito difícil para o salmista suportar a lembrança dos dias quando era capaz de conduzir peregrinos aos grandes festivais, na Cidade Santa, e isto torna-se um conflito interno. O conflito externo acontece porque torna-se vulnerável diante dos homens, devido à sua fé em Deus.

O versículo 5b é a fórmula da fé com a qual ele aquieta a sua melancolia.

Nesse versículo 5 fica explícita a ambiguidade humana ante os inúmeros conflitos que enfrentamos: ao mesmo tempo em que oscilamos com a intensidade da dor, grita em nosso interior a fé que foi gerada pelo próprio Deus em nós.

Às vezes, na vida, parece que o choro desencadeado nunca mais vai cessar; parece que o sorriso nunca mais aformoseará o nosso rosto, nem nossos olhos brilharão ante as perspectivas de uma vida plena vivenciada em Cristo Jesus.

Pastor Carlos Alberto

PIB Trindade

Só contemplamos o vazio, a desesperança, a injustiça; só sentimos o luto, a ausência, o nada. Nossa alma fica prostrada, abate-se, perturba-se e se desespera.
Mas o Salmista também lembra-se do Senhor, que Ele está presente em todo tempo, em todo lugar, e que Ele é Poderoso, Onipotente, e excelente em maravilhas.

Todas as vezes que nos lembrarmos de quem É o nosso Deus, o cântico jubiloso brotará em nosso coração, e romperá em nossos lábios: 
“Espera em Deus, pois ainda O louvarei; Meu Salvador e Meu Deus”.

Permita que este cântico de esperança invada o teu coração e te acompanhe por todo esse dia que o Senhor nos fez.

Deus o abençoe em todo tempo.

Graça de Deus sobre a tua vida, sempre.

Pastor Carlos Alberto – PIB Trindade