Parábolas de Jesus

Parábolas de Jesus

O Evangelho de Marcos foi o primeiro a ser escrito. O Evangelista, descrevendo a atividade de Jesus, faz 14 referencias ao fato de que o Senhor estava envolvido em ensinar as multidões ou os discípulos. O ministério de ensino de Jesus era efetivo e foi atestado pelo fato de que os discípulos se lembraram de suas palavras e repetiram a outros. Foi Marcos quem testemunhou isto; ” Maravilharam-se de sua doutrina, porque os ensinava com quem tem autoridade e não como os escribas” (Mc 1.22). Jesus era mestre por excelência!

O método de ensino que Jesus mais usava eram parábolas. São 44 parábolas registrados nos evangelhos sinóticos. Elas eram narrativas, imaginadas e verdadeiras que jesus apresentou com o fim de ensinar a verdade. Marcos relata que Jesus ” Sem parábolas não lhes falava” (MC 4.34). De fato,  parábola, tantas vezes aproveitada por Jesus, servia para esclarecer os Seus ensinamentos, referindo-se à vida comum e aos interesses humanos, para demostrar a natureza do Seu reino e para testar a disposição dos Seus ouvintes, como podemos ver na reação dos principais sacerdotes que, “ouvindo estas parábolas, entenderam que era a respeito deles que Jesus falava”. (Mt 21.45).

É interessante notar como Jesus aproveita a criação a fim de tirar ilustrações para Suas parábolas ( semeador, semente de mostarda, joio e trigo); algumas vezes, Ele usou os costumes familiares da vida cotidiana( fermento, ovelha perdida, homem dormindo em casa com a família quando o vizinho bate à porta); outras vezes, aproveitou os acontecimentos da cidade (juiz injusto, trabalhadores na vinha, bom samaritano, dez virgens) para dar vida ao Seu ensino.

Crianças, jovens e adultos, através dos séculos, têm ficado encantados com as histórias de Jesus. Ao estudarmos as parábolas do nosso Senhor e Salvador, que a nossa fé Nele cresça e se aprofunde, e que, como “incrédulo” Tomé, possamos dizer; ” Senhor meu e Deus meu!”.

John D. Barnett

Extraído da revista Parábolas de Jesus

EBD- PIB Trindade