Atentos ao que não vemos

Atentos ao que não vemos

“…não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas” (2Co 4.18) O que não vemos, normalmente, não recebe nossa atenção. Bem, parece o óbvio. Porém, não é. Segundo a recomendação que Paulo faz aos Coríntios, devemos estar mais atentos justamente ao que não vemos. Ele diz que as coisas deste mundo temporário são aquelas que somos capazes de ver. O que é eterno não vemos, porém, requer de nós máxima atenção. Estar atentos ao que não vemos, eis a questão. Você sabe o que vê?

“…não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas” (2Co 4.18) O que não vemos, normalmente, não recebe nossa atenção. Bem, parece o óbvio. Porém, não é. Segundo a recomendação que Paulo faz aos Coríntios, devemos estar mais atentos justamente ao que não vemos. Ele diz que as coisas deste mundo temporário são aquelas que somos capazes de ver. O que é eterno não vemos, porém, requer de nós máxima atenção. Estar atentos ao que não vemos, eis a questão. Você sabe o que vê? E o que não vê? Se pararmos para pensar um pouco, isso tem a ver com fé. A fé é assim, você crê, embora não veja e entenda tudo, nem saiba tudo, a não ser o suficiente para ter fé. É claro que muitas vezes essa situação de não saber, não entender, ou não controlar, traz um certo desconforto, ainda mais quando nos encontramos em situações imponderáveis da vida, quando é preciso prosseguir mesmo sem saber qual será o próximo passo. Mas como caminhar sem saber muito? Como saber o que Deus tem preparado para nós? A Bíblia diz que o dia-a-dia tem de ser vivido, a cada dia, de fé em fé (Rm 1.17), experimentando, a cada dia, um pouquinho do que não sabíamos, mas que a fidelidade de Deus produz, revela, a cada dia, com a misericórdia dEle que se renova a cada manhã (Lm 3.22). Mas nós temos esse problema de não saber tudo. Porque não sabemos, não controlamos. Porque não controlamos, ficamos numa situação bem incômoda, a ponto de alguns até entrarem num estado de ansiedade. Paulo me diz nesse texto que estas coisas mais perceptíveis me atrapalham na necessidade que tenho de dar atenção ao que é eterno, ao que de fato nos dá esperança e alimenta a nossa fé diária. Acontece, porém, que não atentamos ao que nos é invisível justamente porque somos mais atraídos pelo que vemos, atrapalhando e ofuscando a visão da glória que nos está encoberta. É preciso saber olhar além. Saber atentar para o que não é circunstancial e visível nos ajuda a não desanimarmos (1Co 4.16). A última palavra não está no que somos capazes de ver. Quando somente temos capacidade para enxergar o que é imediato e acessível, deixamos de perceber o que não somos capazes de ver com os olhos, mas que está acontecendo e determinando tudo em nossas vidas. Tem coisas que estão acontecendo e não estamos vendo, mas isso não significa que não estão operando em nosso favor. Essa é a natureza da fé. Por meio da fé somos convidados a enxergar além do que vemos. E o que está além do que vemos requer mais a nossa atenção. Aos Colossenses, Paulo vai dizer que há coisas para nós que estão ocultas juntamente com Cristo, mas que se manifestarão com Ele, um dia, em glória (Cl 3.3,4). Não vemos, mas estão lá, em Cristo., sabemos, sofreu muito. Se ele atentasse apenas para o que ocorria ao seu redor, seria destruído pelo desânimo, mas ele enxergava além. Ele cria nas promessas eternas. Ele sabia que algo mais o aguardava, e que era mais sublime, glorioso, que nem poderia se comparar ao que ele podia enxergar. É assim que ele recomenda: “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação” (2Co 4.17). Querido (a), não dê atenção somente ao que você vê. As circunstâncias que vivemos hoje não podem ofuscar a glória por vir. Há um rio logo mais à frente e Deus nos ajudará a atravessá-lo. Nós vamos chegar ao outro lado. Ainda que não possamos contar com realizações que desejamos hoje, podemos e devemos crer que todas as promessas que Jesus nos fez se cumprirão. Olhe mais à frente. Desvie um pouco o olhar do que se pode ver facilmente, faça um esforço de fé e veja mais adiante. Logo ali, bem mais adiante, há uma glória que nos espera, acima de toda comparação. Creia.



Pr. Hilário José

Texto transcrito do Boletim IEC de Brasília