Mente, Vontade e Emoção

Mente, Vontade e Emoção

“Temos a mente de Cristo (o Messias) e em nós estão os pensamentos (os sentimentos e os propósitos) do Seu coração” (1 Coríntios 2.16, AMP)

 

Temos a mente de Cristo (o Messias) e em nós estão os pensamentos (os sentimentos e os propósitos) do Seu coração” (1 Coríntios 2.16, AMP)

Quando convidamos Jesus para entrar em nosso coração, o Espírito Santo faz a Sua habitação em nós. A partir dessa posição em nossos corações, que é o centro do nosso ser, o Espírito Santo começa uma obra de purificação em nossas almas (em nossa mente, vontade e emoções).

A nossa mente nos diz o que pensamos, não o que Deus pensa. O Espírito Santo está operando em nós para mudar isso.

Temos de aprender a pensar em concordância com Deus, aprender a ser vasos por meio dos quais Deus pense. Nossos velhos pensamentos devem ser purificados, e novos pensamentos – pensamentos de Deus – devem se tornar parte do nosso modo de pensar.

As nossas emoções nos dizem como nós nos sentimos e não como Deus se sente com relação às situações, pessoas e decisões que tomamos.

De acordo com o Salmo 7.9, Deus testa e prova as nossas emoções. Ele opera em nós até que não sejamos mais movidos apenas pela emoção humana, mas pelo Seu Espírito.

A nossa vontade nos diz o que nós queremos, e não o que Deus quer. A vontade passa por cima das emoções e até dos pensamentos.

Podemos usá-las para fazer a coisa certa mesmo quando não sentimos vontade de fazer. Temos o livre arbítrio, e Deus não nos obrigará a fazer nada.

Ele nos guia pelo Seu Espírito ao que sabe que será bom para nós, mas cabe a nós tomarmos as decisões finais.

Deus quer que tomemos decisões regularmente que estejam de acordo com a Sua vontade, não com a nossa. Quando estas três áreas das nossas vidas – mente, vontade e emoções – estiverem sujeitas ao senhorio de Jesus Cristo e à liderança do Espírito Santo, nós nos tornaremos cada vez mais maduros como crentes.

A PALAVRA DE DEUS PARA VOCÊ HOJE: Você pode administrar suas emoções em vez de deixar que elas o controlem.

Autor: Joyce Meyer