A NOSSA COMUNHÃO

A NOSSA COMUNHÃO

Vivemos dias de grandes desafios para nossa fé. Infelizmente, princípios inegociáveis da fé cristã, tem sido deixado de lado ou perdido seu real significado, isso é muito preocupante, pois, pode nos levar, a uma falsa sensação de está obedecendo a Deus.

Vivemos dias de grandes desafios para nossa fé. Infelizmente, princípios inegociáveis da fé cristã, tem sido deixado de lado ou perdido seu real significado, isso é muito preocupante, pois, pode nos levar, a uma falsa sensação de está obedecendo a Deus. Poderíamos enumerar vários aspectos que vemos conflito entre o que a Bíblia apresentada, e o que experienciamos em nossas comunidades, mas, focarei nesta parte que Grifei, comunidade, essa palavra deriva de Comunhão, é um dos pilares da fé cristã, mas será que estamos vivenciando essa comunhão conforme a Palavra de Deus nos instrui? Precisamos olhar para a Palavra e ver o que ela entende por comunhão cristã. Atos 2:42; 44 (E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão… 44 E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum). Nestes versículos, vemos muitos aspectos importantes a serem abordados, mas vou me ater aos referentes a comunhão cristã. O primeiro e importante aspecto da fé cristã, é em torno do que ela se relaciona, na Doutrina dos apóstolos, que são os ensinos que Jesus transmitiu aos seus Discípulos sobre a sua origem ( Natureza: Eu e o Pai somos um. Jo.10:30 ) e sua missão ( o propósito: Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor. RM. 6:23. Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus. 2 Co. 5:21 ), então comunhão cristã começa em Jesus e no seus ensinos, uma comunhão que não começa com essa base, não poder ser considerada cristã, o segundo aspecto, e igualmente importante, é no partir do pão, isso denota uma profunda intimidade entre as pessoas que fazem parte da fé cristã, não existe cristianismo sem intimidade com Jesus e com os membros da comunidade da fé. Infelizmente vemos que esse principio é distorcido; Pelo simples fato de nos reunirmos em um lugar, pensamos que estamos preenchendo esse requisito, mas na verdade, se não construirmos um intimo relacionamento com Jesus, e com os nossos irmãos da fé, não podemos dizer vivenciamos a comunhão cristã. Quando falamos, nossos irmãos, não estamos falando  daquele grupo que selecionamos por afinidade para nos relacionar.  Por nossa natureza, buscamos nos relacionar com pessoas que temos alguma  afinidade ou que de alguma forma, pode nos beneficiar, mesmo que não seja um beneficio material, mas emocional. Isso é uma tendencia da nossa natureza caída, egocêntrica e maligna, mas Cristo nos chamou das trevas, para sua maravilhosa luz, Jesus  escolheu padecer por nós, quando eramos pecadores Rm. 5:8, Quando nada tinha para oferecer (e não tenho), Jesus escolheu ter comunhão comigo, esse é o modelo da comunhão cristã. E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum, os que criam estavam juntos, não era um grupo isolado, não era um grupo por afinidade, mas aqueles que tinham a mesma fé, partilhavam da intimidade e comunhão, tinham a marca do amor ( Col. 3: 14.) e exerciam misericórdia (Mt. 5:7). Precisamos retornar a comunhão bíblica, a intimidade do partir do pão.
 
Missionário Edivaldo
PIB Trindade